Fatos

Uma cachorra bloqueada

12 junho, 2015 • By

Hoje tivemos e estamos tendo nosso primeiro problema.

Minha Border Collie deveria estar nos braços da minha esposa, se acalmando do stress da viagem e de ter ficado dentro de uma caixa por mais de 28 horas a muito tempo.

O voo da Molly iria fazer uma escala em Frankfurt, tendo que aguardar 3 horas para pegar seu próximo voo com destino a Londres. Ela iria esperar estes momentos dentro de um espaço chamado Animal Lounge, um serviço bacana da companhia para tirar os animais das caixinhas e deixá-los esticarem as pernas depois de longas jornadas.

Só que a Molly não ficou apenas 3 horas neste espaço. Ali ela segue sozinha até o presente momento.

Porque? Perguntem a Lufthansa.

De alguma forma que não consigo entender, a companhia perdeu todos os documentos da minha cachorra.

Ela não consegue nem deixar Frankfurt e muito menos pode pousar em Londres.

A última novidade que tenho é que um veterinário do aeroporto alemão aprovou o embarque da Molly com cópias enviadas pela empresa FlyingPet. Mas o problema está longe de ser resolvido, porque Londres não aceita copias, tem que exibir o original.

Agora tenho que esperar a Lufthansa encontrar estes documentos, que acreditam terem colocado em outro avião (mas não sabem qual) ou que ela consiga negociar com a burocracia do aeroporto britânico.

E eu não sei mais o que fazer!

Tentei o telefone deste Animal Lounge com a Lufthansa no Brasil e não obtive sucesso. Tive que apelar para a página da companhia nas redes sociais e consegui a resposta.

Liguei lá e eles me tranquilizaram um pouco dizendo que ela estava bem.

Mas fora isto, tenho uma cachorra vivendo no universo estranho das burocracias de cargas por causa de um erro estúpido.