Fatos

Cheguei e já causei

30 junho, 2015 • By

Depois de um voo de 12 horas e mais 2 horas esperando na fila da imigração, chego ao oficial da fronteira.

No tempo que fiquei na fila ensaiei algumas mentiras, pois meu intuito é ficar aqui pra sempre, mas meu visto é de somente 6 meses.

Na hora H tomei minha decisão, contar a verdade.

O oficial perguntou somente duas coisas. Propósito da viagem e tempo de permanência.

Estou aqui para ver minha esposa e ficar com ela. Coloquei no formulário somente 6 meses de permanência porque meu visto é de 6 meses, mas o mínimo que pretendo ficar é 2 anos. Neste 6 meses irei me aplicar para um residência.

O oficial olha pra minha com cara desconfiado e pede uma copia do passaporte da Guacyra. Digo que não tenho, só tenho uma copia da sua identidade italiana.

Ele olha por mais um tempo para minha cara.

Ok, está liberado.

Carimba meu passaporte. A fronteira esta aberta.

Encontro o motorista que minha esposa contratou na prestige Cars e vou até a casa dos meus cunhados onde a Guacyra está morando.

Chego la no exato momento que eles estão retornando do trabalho.

Tomo um banho para tirar o cheiro de capivara depois desta jornada toda e vou passear um pouco com a Molly.

Passei em um bosque que parecia um parque totalmente novo para meus olhos. Mas não. Era o mesmo parque que estive no inverno no começo deste ano. Impressionante como as estações mudam completamente a natureza.

Depois fui para um Pub com a Molly. E ai que a coisa azedou.

Fui no Peacock Farm Pub. Um Pub bem legal com um espaço aberto onde você pode levar cachorros.

Havia um parquinho para crianças, mas em um determinado momento, quando não havia crianças por perto fui la brincar com a Molly, até que um inglês merda resolveu me interrogar.

Você acha seguro levar seu cachorro em um espaço para crianças?

Você está vendo alguma criança neste momento? Respondo

Mas você acha certo ter sua cachorra em um parque para crianças?

Devia ter mandando ele a merda, mas era meu primeiro dia neste pais. Resolvo engolir meu orgulho e a enxergar com lógica a razão discutida pelo imbecil.

Ele está certo, mesmo o parque vazio, era um espaço voltado para crianças.

Peço desculpas.

Viu, não foi muito difícil não? O mesmo retruca.

O sangue ferve. Olho para cara dele mas o gordo filho da puta já havia virado a cara para mim para conversar com pessoas da sua mesa.

O que fazer? Resposta rápida. É meu primeiro dia aqui e não vai ser o primeiro confronto com um inglês que vou abrir mão das minhas escolhas por orgulho idiota.

Volto a minha mesa bufando de raiva com apenas uma vantagem para contar. A história que isto gerou para meu blog.