Browsing Date

junho 2015

Fatos

Cheguei e já causei

30 junho, 2015 • By

Depois de um voo de 12 horas e mais 2 horas esperando na fila da imigração, chego ao oficial da fronteira.

No tempo que fiquei na fila ensaiei algumas mentiras, pois meu intuito é ficar aqui pra sempre, mas meu visto é de somente 6 meses.

Na hora H tomei minha decisão, contar a verdade.

LEIA MAIS


Sem categoria

O embarque

30 junho, 2015 • By

E é isto ai.

Depois de meses de planejamento, corrida por documentos, despedidas e mais despedidas, finalmente chegou a hora. O ultimo movimento no tabuleiro.

Hoje estou indo embora.LEIA MAIS


Fatos, Pensamento

O fim de 9 anos

27 junho, 2015 • By

Terminar um relacionamento é sempre duro, mas quando você é a parte que esta tomando a atitude é ainda mais complicado.

Os dois vão sofrer, mas quem tem a iniciativa ainda tem que enfrentar dois pesos.

A Culpa, e as ofensas. Sempre vai ter ofensas. Dificilmente o outro lado vai te deixar sair impune por tanto sofrimento.LEIA MAIS


Fatos

Bye Bye Rapp

22 junho, 2015 • By

Eu tenho uma lista chamada “Before Go” com todas as tarefas que eu tenho que realizar aqui no Brasil antes da minha partida final.

Existem 3 itens nesta planilha que tentei evitar ao máximo sua chegada porque são extremamente dolorosos.LEIA MAIS


Fatos, Pensamento

A resposta da Lufthansa

18 junho, 2015 • By

A Lufthansa me respondeu.

Antes dela me responder havia algumas dúvidas na minha mente. Qual melhor estratégia para processar esta companhia que causou tanto desconforto para minha família.

Bom. Após ler sua resposta tomei a seguinte decisão. Não vou processá-la.

Porque eu estava certo. Lufthansa é uma companhia muito grande, e eu não estou a analisando por seu número de faturamento, de aeronaves ou números de funcionários, mas por suas ações.LEIA MAIS


Fatos

Que a Rainha se prepare. A Molly chegou

17 junho, 2015 • By

Finalmente a jornada da Molly chega ao fim.

Como acompanharam, foram dias de stress, noite mal dormidas e negociações internacionais.

Acredito que houve alguns heróis nesta história toda, e devo confessar que mesmo puto com a Lufthansa, não posso negar que parte desses heróis fazem parte da companhia.

Meus cunhados e minha esposa conseguiram das autoridades britânicas a autorização para o envio da Molly utilizando somente as cópias dos documentos extraviados.

Como? Apelando e acreditando que o lado bom humano consegue se sobressair ao lado burocrático das organizações.

As autoridades se sensibilizaram com as lágrimas da Guacyra e deram as devidas autorizações.

Minha esposa me ligou às 6 da manha dessa segunda feira dando a notícia. A partir daí foi uma força tarefa com todos os envolvidos. Liguei para a veterinária da Molly ficar atenta a seus e-mails pois as autoridades inglesas iriam contata-la e depois liguei para a Lufthansa em Frankfurt.

Lá eles montaram um processo interligando veterinários, agentes aduaneiros, agentes internos, todo um batalhão a postos para uma missão: Levar Molly a Londres.

Às 9 horas da manha eu ligo novamente para a companhia e recebo a seguinte mensagem.

Molly flight is booked! She is going home in a just a few hours.

Eu não me considero uma pessoa fria, mas nunca chorei por alegria. Não chorei neste momento, mas bateu na trave. Meu corpo que há dias estava tenso relaxou ao ouvir a resposta com sotaque alemão.

Como combinado, Molly pousou em terras britânicas neste mesmo dia. Ainda teve que passar uma noite no aeroporto, pois lagrimas tem o poder de afrouxar regras, mas não de corrompê-las, portanto existiam algumas regras que até mesmo minha tímida Border Collie tinha que enfrentar.

No dia 16 finalmente os dois grandes amores da minha vida se encontram. Molly e Guacyra fizeram contato.

Segundo o que me foi reportado, ela estava assustada, alerta e cansada. Ou seja, nada menos que o esperado.

Depois de uma noite de sono tranquila, ela acorda a 5:30 da manha e minha esposa a leva para passear pela primeira vez.

Agora o próximo desafio é minha esposa conseguir dormir. Os desafios nunca acabam nesta jornada.


Fatos

Open letter to Lufthansa

15 junho, 2015 • By

Yesterday, 14 of June was my birthday.

I believe that it was the saddest birthday I had, and that is all Lufthansa’s fault.

To make you understand the situation, I must first tell you about my dog and the special bond that connect us.

molly2Her name is Molly, a white and brow Border Collie.

I admit, I bought Molly not because I wanted to, but because my wife, girlfriend by the time, pressured me immensely into buying one and so the little puppy came into my life. A selfish and boring life I had.

Walking up late, having just a coffee for breakfast and running to work. Same routine every day.

And so the little border collie arrived.LEIA MAIS


Fatos

Uma cachorra bloqueada

12 junho, 2015 • By

Hoje tivemos e estamos tendo nosso primeiro problema.

Minha Border Collie deveria estar nos braços da minha esposa, se acalmando do stress da viagem e de ter ficado dentro de uma caixa por mais de 28 horas a muito tempo.

O voo da Molly iria fazer uma escala em Frankfurt, tendo que aguardar 3 horas para pegar seu próximo voo com destino a Londres. Ela iria esperar estes momentos dentro de um espaço chamado Animal Lounge, um serviço bacana da companhia para tirar os animais das caixinhas e deixá-los esticarem as pernas depois de longas jornadas.

LEIA MAIS


Galeria, Molly

Últimas patadas no Brasil

10 junho, 2015 • By

Tantas foram às vezes que eu queria que a Molly entendesse português.

Como no dia que ela comeu o controle do Playstation.

“Molly, vamos conversar? Estou bem chateado com seu ultimo comportamento. Sabe, este negócio que você destruiu era meu e muito caro. Que isto não se repita”

Se ela entendesse não teria acontecido o que aconteceu uma semana depois. Ela repetiu.

LEIA MAIS